ATÉ JÁ QUERIDO PAI ...

Conversas sobre outras temáticas e o que não se enquadrar em nenhuma outra secção.
Arguida2
Membro Veterano
Mensagens: 1311
Registado: segunda jul 16, 2012 11:35 am

sexta abr 25, 2014 4:32 pm

Ontem, em homenagem ao meu Pai, publiquei este texto no facebook.


25 DE ABRIL SEMPRE
Obrigada Querido Pai

Faz hoje 40 anos que saiu naquela noite de Abril rumo ao Regimento de Engenharia 1 na Pontinha, aquele que seria o Posto de Comando da que ficou conhecida como a Revolução dos Cravos. Era o oficial mais graduado naquele Posto de Comando.
No coração levava a Família, aquela que não sabia quando voltaria a ver caso as coisas corressem mal ... no bolso, um sonho que ao longo da vida sempre tinha pautado a sua conduta ... o de vivermos em LIBERDADE.
Não se envolveu nesta causa em busca de protagonismo ou proveitos pessoais ao contrário do que infelizmente hoje em dia acontece.
No dia 25 quando acordámos a Mãe disse que precisava de falar connosco e, explicou-nos o que se passava, onde o Pai estava. Disse-nos também que, se tudo corresse bem, em breve o iríamos ver mas, se o pior acontecesse, o Pai seria preso e, não sabia quando e se o voltaríamos a ver.
Vários sentimentos antagónicos nos invadiram. Por um lado uma enorme alegria mas por outro, um medo terrível, nervosismo, pânico ... pânico de não o voltarmos a ver.
Durante as longas horas de espera, os acontecimentos recentes foram-me passando diante dos olhos como se estivesse a ver um filme em câmara lenta. As suas constantes saídas à noite(o que antes nunca acontecia), as visitas lá a casa de vários homens com mapas, as desculpas da Mãe que nos dizia que, as suas saídas e aquelas visitas eram devidas a obras na Academia Militar.
Recordei-me também, de não raras vezes quando saía para ir para o liceu, a Mãe ir à janela gritar para eu me despachar. Na minha inocência, pensava que ela tinha receio de que eu chegasse atrasada às aulas ... quando afinal o receio dela era a PIDE que nos seguia.
Foram muitos os momentos revividos e eis que, ao final da tarde, soubemos que a REVOLUÇÃO tinha vencido. Foram gritos de alegria, pulos, beijos, abraços e ... muitas lágrimas de emoção.
Só o voltámos a ver no dia 26 já à noite quando o Pai apareceu totalmente extenuado de G3 na mão e as balas ... no bolso. Estava há mais de 48 horas sem dormir e, vinha descansar um pouco pois tinha de estar na Cova Moura à meia-noite. Ao contrário daquilo que é "voz corrente" NÃO foi o Otelo Saraiva de Carvalho o último a sair do Posto de Comando pois este no dia 26 já almoçou em casa com a mulher. Foi o Pai.
Nunca procurou holofotes, 1ªs páginas de jornais nem benefícios pessoais pois se assim fosse, naquela noite de 25 de Abril, quando o Spínola chegou ao Posto de Comando e disse ao adjunto para tomar nota do nome dos homens que ali estavam para fossem todos promovidos a generais, o Pai não lhe teria respondido como respondeu e, aliás, está bem patente no filme A HORA DA LIBERDADE (uma recriação dos acontecimentos): Meu General isto não é a república das bananas. Até nesse momento o Pai mostrou a sua irreverência ... o seu idealismo puro.
Nunca se valeu das suas múltiplas funções para pisar quem quer que fosse. Bem pelo contrário, sempre se pautou pela rectidão e por dar o exemplo.
Ainda hoje coro só de me lembrar daquela vez que veio duma reunião da NATO em Bruxelas e em que o seu motorista nos perguntou se o queríamos ir buscar ao aeroporto. Obviamente que queríamos, não por irmos buscar o Pai (éramos miúdas) mas sim por andarmos de mercedes com direito a motorista. Quando desembarcou e nos viu, perguntou à frente dos jornalistas como tínhamos ido para o aeroporto e, quando lhe respondemos que tínhamos ido com o Sr. Amaral, pregou-nos um raspanete dizendo que o carro oficial era única e exclusivamente para as suas deslocações oficiais e não para nos andar a passear. De seguida, deu-nos dinheiro para irmos para a fila dos táxis, dizendo que mais tarde falaríamos em casa.
Nunca foi subserviente, nunca pactuou com o que os seus valores não lhe permitiam e, pagou bem caro por isso, sendo que um dos "puxões de orelhas" que levou, por ter divulgado as listas do General Humberto Delgado no seu quartel ... foi ter ido parar à Índia.
Nunca se agarrou ao poder que teve nem nunca teve proveito próprio do que quer que fosse pois, caso contrário, nunca teria pedido a demissão de todos os cargos que ocupava e a sua imediata passagem à reserva em Maio de 75 por não concordar com o rumo que o País estava a levar.
Após a sua demissão inúmeros cargos foram-lhe oferecidos. A todos recusou.
Por tudo isto querido Pai e, por muito mais é que sentimos a sua falta. Onde anda a honestidade no nosso País? Onde estão os princípios? Quando é que conseguiremos meter um travão a esta destruição do nosso País? Hoje em dia assistimos ao compadrio, jogos de poder, desonestidade naqueles que deviam dar o exemplo, no uso e abuso das benesses inerentes aos cargos ocupados em benefício próprio. Não há austeridade que consiga meter um travão a toda esta promiscuidade, a toda esta podridão pois, a austeridade e como convém ... é só para os fracos, os pobres ... aos poderosos ... a esses nada acontece ... inclusivamente quando lhes são instaurados processos-crime os quais, ardilosamente ... prescrevem.
Nos últimos anos de vida, via-o triste, desiludido, abatido mas ... NUNCA arrependido. O Pai fazia questão de dizer: Se fosse hoje, voltaria a fazer o mesmo.
E agora Pai? Os estão os homens com H maiúsculo? Aqueles que se pautam por princípios e não por interesses pessoais? Onde estão os homens da sua fibra? Precisava de ver uma luzinha ao fundo do túnel ... para acreditar que ... valeu a pena ... que o Pai não lutou em vão.
Sinto tanto a sua falta... amanhã será um dia em que muitos estarão alegres (apesar de tudo) pois vão comemorar o dia da LIBERDADE. Para mim querido Pai, será um dia de tristeza ... um dia em que a sua ausência será ainda mais dolorosa. A quem vou dar o meu cravo amanhã? A quem vou abraçar? A quem vou agradecer? A quem? ...
Um beijinho ENORME querido Pai e OBRIGADA por tudo.
Obrigada por nos ter dado a LIBERDADE
Obrigada por me ter transmitido os seus princípios ... os seus valores
Obrigada por me ter ensinado tantas coisas ...
Está e estará SEMPRE no meu coração
Catleo
Membro
Mensagens: 166
Registado: sábado mar 27, 2010 10:45 pm

sexta abr 25, 2014 6:41 pm

A minha admiração e o meu OBRIGADO por aquilo que foi e fez pelo nosso País o seu Pai, Arguida.
Arguida2
Membro Veterano
Mensagens: 1311
Registado: segunda jul 16, 2012 11:35 am

sábado abr 26, 2014 11:38 pm

Muito obrigada Catleo. Um beijinho grande para si e para as meninas. :wink:
Saturnny
Membro Júnior
Mensagens: 31
Registado: sexta jun 07, 2019 12:15 pm

sexta out 04, 2019 3:18 pm

Lamento su pérdida, pero tenía miedo de que mi hora me alcanzara y mi amigo dejara de funcionar, pero gracias a revia precio evité todos mis temores.Te aconsejo que pruebes este remedio, luego te lo agradecerás
Responder

Voltar para “Outros Tópicos”